segunda-feira, 22 de junho de 2009

Tenho um amigo filosofo


Na realidade ele é um físico, mas estou pensando seriamente que ele possa ser um filósofo, ou memso um poeta! Primeiramente seu nome e Alan Henrique Pégoli, e achei um papel em sua mochila, onde o texto abaixo estava escrito em uma folha amassada de papel, toda riscada, e cheia de números, então vamos a sua obra de arte....

“A luz da razão,
Hoje faz-me entender o porquê da arvora da vida ter sido proibida.
Antes prendia-me em fatos e conclusões absurdas de como seria viver sem o fogo do “conhecer”, mas certa noite caminhando sobre o escuro percebi que era sim possível ver e traçar a linha do horizonte sobre a “ ignorância”.
Percebo agora o quão perigoso é brincar com fogo, o quão ele pode queimar. Mas como já diziam outros poetas,
Se souber brincar com ele, não há nada mais bonito.
Trata-se de uma doença, difícil, porém compreensível.
O conhecer; belo e hostil.
Fatal, e epidêmico.
Feio e domável; “conhecimento”.
Fácil e impossível.
Tudo e Nada.
Água, não fogo.
Incompreensível chama da vida.
Volto a dizer: Do fruto da árvore da vida não comas, pois é quente.”

Por Alan Pégoli.

Você não entendeu? Nem eu.. O pior é que eu convivo com ele!

3 comentários:

João Henrique disse...

Olá, sou do As Minhas Abobrinhas, tem um selo pra vc lá no meu blog.

Sergio Bucco disse...

Nem que fiquem as marcas, mas dependendo do fogo, vale a pena brincar! parabéns!

Vagner Henrique disse...

Muito bom esse poema, também sou um pequeno filosofo, vou tentar qualquer dia fazer um poema. Entendi e penso o mesmo, menos no final, o conhecimento é bom poucos tem e quem tem quer ter mais e mais e sabe que pensar doí a alma e confunde a mente.

Seguidores